melanose solar como evitar

Melanoses solares: você sabe o que são e como surgem?

À medida que envelhecemos, nossa pele sofre com uma série de mudanças e entre as mais conhecidas estão as rugas, linhas de expressão e a flacidez. Porém, pequenos pontos escuros, conhecidos popularmente como manchas senis ou melanoses solares, também são bastante comuns.

Apesar de serem comumente associadas à idade, essas marcas na verdade não possuem relação nenhuma com o passar dos anos e sim com a exposição aos raios do sol que costumam ser frequentes ao longo da vida. 

Para que você entenda como esses sinais são formados e também algumas maneiras de tratá-los, confira nessa matéria tudo que você precisa saber sobre as melanoses solares. 

O que são as melanoses solares?

Segundo o Dr. Abdo Salomão, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), essas marcas acastanhadas são causadas principalmente devido à radiação solar. Esta, estimula a produção de melanina, pigmento que dá cor à pele, levando assim a formação de manchas.

Elas costumam surgir em locais que ficam muito expostos ao sol como mãos, braços, rosto e pescoço e, apesar de serem relacionadas ao processo de envelhecimento, também podem aparecer em qualquer momento da vida. Ainda assim, as manchas senis são mais comuns a partir dos 40 anos em pacientes de fototipo alto e após os 50 anos naqueles com peles mais escuras.

Apesar de não representarem nenhum risco à saúde inicialmente, sendo de caráter benigno, essas manchas podem evoluir para um problema mais sério, se não houver cuidado, como o câncer de pele, conforme alerta o médico.

Isto significa que sua presença indica que a pele foi exposta ao sol por um bom tempo, havendo a possibilidade de que um tumor se desenvolva nesses locais. Portanto, ao perceber o seu surgimento, o ideal é ficar de olho em possíveis alterações e procurar um dermatologista para tratá-las.

Como se prevenir?

A melhor forma de evitá-las é por meio do uso recorrente e eficiente do protetor solar. Isso significa passar diariamente aqueles com, no mínimo, FPS 30. Não apenas do sol na praia ou piscina, a pessoa também deve se cuidar no dia a dia, pois a exposição solar sem proteção, em longo prazo, leva ao surgimento das manchas. Os idosos, por possuírem peles mais finas e sensíveis, precisam de cuidados ainda maiores, especialmente na época de verão.

O dermatologista indica ainda que o filtro solar seja reaplicado a cada duas horas, ao longo do dia, e que evite se expor ao sol durante as 10 horas e as 16 horas. Para aumentar ainda mais o cuidado, o uso de chapéus, óculos de sol e roupas que abriguem a pele dos raios solares também evitam o surgimento das marcas.

É importante também contar com um diagnóstico preciso para excluir as chances de manchas malignas, já que elas representam um dos primeiros indícios de câncer de pele. Todo o acompanhamento deve ser realizado com o profissional dermatologista.

Tratamento das melanoses solares

Se você já sofre com as manchas causadas pelo sol, saiba que é possível clareá-las. O seu tratamento pode ser feito tanto em consultório como em casa.

Nas clínicas, os procedimentos envolvem peeling químicos, cauterização química, criocirurgia ou o uso de luz intensa pulsada. Já o tratamento domiciliar deve ser feito com o uso de dermocosméticos clareadores com ativos como vitamina C, ácido glicólico, ácido retinóico entre outros.

“Antes de optar por qualquer um desses tratamentos, o ideal é que você consulte um dermatologista. Apenas ele poderá realizar uma avaliação e indicar o melhor tratamento para o seu caso, seja no consultório ou em casa”, finaliza o Dr. Abdo Salomão.

Fonte: Dr. Abdo Salomão, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Se você quer mais dicas sobre saúde, prevenção e qualidade de vida não deixe de acompanhar nosso blog aqui na página da Droga Leste. Gostaria de dar uma sugestão ou ver algum assunto por aqui? Conte para a gente pelo e-mail marketing@rededrogaleste.com.br. Cuide bem, viva bem!