Obesidade infantil: como prevenir?


Um dos problemas de saúde pública que mais tem preocupado pais, médicos e a sociedade em geral é a obesidade infantil. Um estudo realizado pelo Imperial College London e a Organização Mundial da Saúde apontou que o número de crianças e adolescentes obesos cresceu 10 vezes nos últimos 40 anos em todo o mundo. 

Somente no Brasil, um terço das crianças de 5 a 9 anos possui excesso de peso, 17,1% dos adolescentes estão com sobrepeso e 8,4% são obesos. É o que indica o relatório Situação Mundial da Infância 2019: Crianças, alimentação e nutrição da Unicef.

Para poder mudar essa realidade, os pais têm papel fundamental na implementação de uma boa alimentação e hábitos saudáveis na rotina da criança. Por isso, apresentamos alguns dos principais fatores que contribuem para o ganho de peso e como pequenas atitudes fazem a diferença na prevenção à obesidade infantil.

O que é obesidade infantil?

Organização Mundial da Saúde define sobrepeso e obesidade como o acúmulo anormal ou excessivo de gordura que apresenta risco à saúde. Nas crianças, esse distúrbio se desenvolve com ainda mais facilidade, logo que o organismo está em processo de formação.

A medida mais utilizada para definir se uma pessoa está acima do peso ou obesa é o Índice de Massa Corporal (IMC). Basicamente, ele é definido fazendo a conta do peso em quilogramas de uma pessoa dividido pelo quadrado de sua altura em metros (kg/m²). 

Porém, seu uso em crianças e adolescentes é inadequado, logo que ainda estão em plena fase de desenvolvimento, passando por mudanças constantes no seu tamanho e peso.

Quais são as causas da obesidade infantil?

Existem diversos fatores que podem acarretar no desenvolvimento da obesidade infantil, mas o principal é a combinação entre ingestão de alimentos ricos em gordura e açúcar, associados à inatividade física devido à natureza cada vez mais sedentária em que as crianças estão expostas.

Apesar da dieta brasileira comum envolver arroz, feijão, legumes, carne, salada e frutas, esses hábitos alimentares estão mudando a cada ano. Cada vez mais os alimentos industrializados com alto teor calórico e baixo valor nutricional são incluídos na lista de compras. 

Além disso, o tempo perante a televisão também pode estar relacionado ao aumento de peso. Segundo estudo realizado pela Universidade de Virgínia, nos Estados Unidos, crianças que passam de uma a duas horas em frente à TV correm um risco 47% maior de serem obesas, comparadas àquelas que passam menos tempo assistindo ao aparelho. Os autores concluíram ainda que o televisor aumenta esses índices não apenas por desviar a criança das atividades físicas como também por induzir à ingestão de alimentos altamente calóricos.

Como consequência, a criança fica propensa ao desenvolvimento precoce de diversas doenças crônicas como diabetes, doenças cardiovasculares, hipertensão, distúrbios psicológicos. As chances de manter a obesidade na vida adulta também são muito altas.

Formas de evitar a obesidade infantil

Para impedir que essas crianças se tornem adultos com excesso de peso, os pais precisam controlar as calorias consumidas em alimentos e bebidas, proporcionando uma alimentação saudável. O ideal é evitar ao máximo alimentos ultraprocessados e açucarados.

Estimular as atividades físicas também é essencial, não apenas como atividade esportiva, mas também como um momento de lazer e diversão. Mesmo as brincadeiras tradicionais como jogar bola, pega-pega e outras são opções para queimar as gorduras.

Vale lembrar que o objetivo é reduzir o ganho de peso, porém sem interferir no crescimento e desenvolvimento naturais das crianças. Por isso, elas não devem ser submetidas à dietas de redução de peso sem a consulta e diagnóstico de um médico.

Alimentação como forma de prevenção

Não existe uma fórmula mágica para eliminar de vez a obesidade infantil. É necessário investir tempo e dedicação no cuidado com as crianças. Abaixo você pode conferir algumas dicas para ajudar os pequenos a desenvolverem hábitos alimentares saudáveis e se prevenirem desse distúrbio:

  • Ofereça mais vegetais, frutas, legumes e produtos integrais;

  • Diminua o consumo do leite e laticínios;

  • Opte pelas carnes magras como aves e peixes, e inclua a lentilha e feijões para obter proteínas;

  • Sirva porções de tamanho razoável;

  • Incentive a família a beber muita água;

  • Reduza as bebidas açucaradas como refrigerantes e sucos prontos;

  • Limite o consumo de açúcar e gordura saturada.

Se a criança já se encontra em uma situação de obesidade infantil, o ideal é fazer o acompanhamento com profissionais nutricionistas, pediatras e educadores físicos.

--

Gostou dessas dicas? Para conferir mais como essas, não deixe de acompanhar nosso blog aqui na página da Droga Leste. Tem algum assunto que você gostaria de ver por aqui? Fale com a gente pelo e-mail marketing@rededrogaleste.com.br. Cuide bem, viva bem!

Confira mais

Sexualidade e idosos: sem tabus!

A sexualidade dos idosos tornou-se um assunto cheio de tabus e preconceitos e dificultam a discussão desse assunto nessa fase da vida.

Tudo que você precisa saber sobre a asma!

Vamos falar tudo que você precisa saber sobre a asma e como controlas essa condição para ter uma vida saudável e sem correr riscos desnecessariamente.

Quando é hora de procurar o geriatra?

A geriatria não se restringe apenas aos idosos, ela ajuda a detectar doenças que agravam conforme o tempo e fazer a prevenção e contenção dessas condições.

Terceiro mês do bebê: quais novidades esperar?

Em nossa série que acompanha o primeiro ano da criança, chegamos ao terceiro mês e todas as novidades que esse período traz para seu pequeno.

Cabelos e inverno: 5 dicas incríveis de cuidados

O inverno pode ser complicado para o cabelo por alguns motivos, mas não se preocupe! Trouxemos algumas dicas maravilhosas para cuidar das suas madeixas.

Cuidados com a pele em cada fase da vida

Ao longo dos anos, nosso corpo passa por mudanças, por uma série de motivos. E, em casa fase da vida, temos que adotar uma rotina de skincare diferente.

Veja Mais Postagens