Como explicar para seus filhos a situação da quarentena?

Por enquanto, os casos de covid-19 continuam aumentando e a orientação das autoridades da saúde é, em todos os lugares do mundo, a mesma: fique em casa. A quarentena, a princípio, pode parecer muito com férias, mas não é. E as crianças percebem isso quando veem os pais nervosos ou assustados com a situação pela qual estamos passando.

A partir do momento em que a rotina dos seus filhos muda, você precisa conversar com eles sobre o assunto. As crianças sentem essa diferença e é uma demonstração de respeito que você informe sobre o que está acontecendo.

Além disso, como elas ficarão presas em casa, com opções limitadas de entretenimento, podem acabar frustradas e agitadas, principalmente se você não explicar o que está ocorrendo. “Não devemos contribuir para que fiquem assustadas ou em pânico, mas, dentro da capacidade de compreensão de cada faixa etária, devemos manter as crianças cientes e explicar que atitudes diárias podem contribuir para a prevenção e cuidado”, explica Pedro Braga Carneiro, psicólogo do Marista Escolas Sociais.

Entendemos que a ideia é não gerar pânico nos pequenos, por isso deve falar calmamente, sem passar informações demais, mas sempre contando a verdade. Parece que não, mas eles percebem o que está acontecendo e, se não entenderem, podem ficar assustados. Justamente aquilo que você queria evitar.

Explicando a situação

Para explicar o que é o novo coronavírus, use como exemplo as gripes e resfriados que eles já tiveram. Apenas aproveite para reforçar que o covid-19 é mais forte e que devemos nos proteger e cuidar. Então, aproveite e dê ênfase nas medidas de prevenção, fazendo isso de forma lúdica, com músicas para a hora de lavar as mãos ou usando sabonetes coloridos.

Falando sobre passeios e planos frustrados

Quanto aos planos e passeios que foram adiados e causaram tristeza, não menospreze os sentimentos ou brigue com se houver reclamações. Acolha-ose, mais uma vez, fale a verdade e compartilhe também sobre os seus planos que foram adiados ou não deram certo por conta da crise. Ainda explique que isso não é uma questão de querer, mas sim uma regra para proteção de todos.

A situação dos avós

Os idosos são parte do grupo de risco e, por isso, a visita aos avós devem ser suspensas também por um tempo. Fale com eles sobre como, agora, isso é um ato de carinho e de mostrar que se importa. Para manter o contato e não preocupar os baixinhos, faça ligações ou chamadas de vídeo, assim eles podem interagir. Mantenha o otimismo dizendo que espera que a situação passe logo, mas que até lá vocês não poderão visitá-los.

“É importante sinalizar que teremos um término, por mais que ainda não saibamos ao certo quando tudo isso vai passar. Pode-se usar marcadores como: o seu aniversário ou de pessoas queridas, o inverno, a época das férias. Sinalizar que, nesses marcadores, faremos novas avaliações: talvez tudo já tenha passado, mas pode ser que ainda estejamos lidando com a pandemia”, reforça Carneiro. 

Criar uma rotina com seus filhos

Mesmo durante o período de isolamento, é necessário para os pequenos ter uma rotina. Isso ajuda a reforçar ainda mais o argumento de que a quarentena é coisa séria. C com os dias planejados, seu filho tende a ficar com a mente organizada. Muitas escolas já estão arrumando uma forma de enviar lições de casa para ninguém perder o ano letivo. 

Com isso, sentar-se com eles e elaborar um cronograma é uma boa ideia. Os mais velhos podem ajudar na elaboração de seus horários e dizer como querem fazer as coisas.  Já para os menores trouxemos algumas dicas:

Manhã

Como já dissemos, é o momento que deve seguir como nos dias de aula, então acordar, comer, fazer a higiene pessoal e depois sentar para fazer as lições da escola. Se seu filho for pequeno, escolha uma atividade educativa como jogos, pintura, leitura entre outros. O dia a dia deve ser adaptado aos interesses, idades e obrigações que eles têm.

Meio da manhã

Ao finalizarem as tarefas escolares, eles podem ajudar nas tarefas domésticas de acordo com as capacidades físicas ou, até mesmo, ajudarem a preparar o almoço.

Depois do almoço

Depois do almoço, indicamos uma atividade mais relaxante. Para os pequenos, é possível fazer uma hora da soneca, já os mais velhos podem ver um filme ou passar um tempo no videogame. Essa hora mais “relax” é importante, mesmo ficando em casa.

Tarde

Esse é o período mais adequado para brincadeiras em família, fazendo exercícios em casa. Então, a brincadeira está liberada de acordo com as regras que você impuser, claro. 

Jantar

Antes do jantar segue a vida normal: banho e pijama,ajudar no preparo da refeição, um pouco de televisão para descansar e aproveitar um tempinho em família. Depois do jantar, o ideal é esperar um pouco e depois dormir. 

É importante lembrarmos que todos estamos juntos na situação que se apresenta e cada um deve fazer sua parte para que o confinamento não dure mais do que o prazo estabelecido. Suas emoções são essenciais para a percepção dos seus filhos sobre a situação!

Gostou dessas dicas? Para conferir mais como essas, não deixe de acompanhar nosso blog aqui na página da Droga Leste. Tem algum assunto que você gostaria de ver por aqui? Fale com a gente pelo e-mail marketing@rededrogaleste.com.br. Cuide bem, viva bem!