Setembro amarelo: por que é tão importante falar sobre saúde mental?


O mês de setembro é marcado pela celebração do Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio e por ser um momento de conversar a respeito de saúde mental e desmistificar preconceitos que cercam o assunto. 

Todos os anos a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) registra aproximadamente dez mil mortes por esse motivo. E a sociedade segue perpetuando alguns estigmas que não ajudam na prevenção e erradicação desse problema. 

Por mais que seja um tema assustador, temos que dialogar sobre o assunto para desconstruir o senso comum e facilitar o reconhecimento dos sinais, permitindo que atitudes sejam tomadas para ajudar quem estiver considerando o ato. 

Confira os principais mitos sobre suicídio

1 - É um ato completamente consciente e individual

Segundo a Cartilha Suicídio: Informando para Prevenir, criada pela ABP junto com o Conselho Federal de Medicina (CFM), em 96,8% dos casos, o suicídio é consequência de transtornos psiquiátricos não diagnosticado, não tratado ou, até mesmo, tratado de forma inadequada. Por causa disso, a percepção da realidade é alterada, interferindo no livre-arbítrio e tomada de decisão.

2 - Quem tentou suicídio uma vez terá essa tendência para sempre

Sendo que a maioria dos suicídios está ligada a uma doença mental, quando tratada os pensamentos passam e o paciente tenha uma perspectiva melhor com relação à vida. Quando há uma terapia adequada para o quadro psicológico a ideia tende a ir embora com o tempo.

3 - Quem fala em se matar, quer somente chamar atenção

Um dos maiores mitos é que “quem quer tirar a própria a vida, não fala”. Normalmente, há uma variedade de alertas que indicam que alguém está com pensamentos suicidas. Além disso, esses indivíduos expressam discursos de despedida algum tempo antes de seguir com a ideia. 

4 - Assim que a pessoa deprimida deixa de sentir-se assim não está em risco

Ao mesmo tempo em que o indivíduo não se sentirá mal em todos os momentos, não significa que se, de repente, aparentar estar tranquilo já não corre mais risco. Às vezes, ao tomar a decisão de tirar a própria vida, a pessoa se sente “melhor” antes de fazer uma tentativa, simplesmente por ter acabado com as dúvidas de que é isso que deseja fazer. 

5 - Se alguém sobrevive a uma tentativa está fora de risco

Pelo contrário, um dos períodos mais complicados é durante a recuperação da crise que motivou o ato. Principalmente na semana pós alta do hospital na qual a pessoa ainda segue muito fragilizada.

6 - Falar a respeito do tema aumenta as chances 

Não, pelo contrário. Encorajar a discussão, sem emitir julgamentos, é importante. Além disso, libera tensões e angústias que essa espécie de pensamento traz para a saúde (mental e física).

7 - A mídia não deveria falar sobre suicídio

Na verdade, é obrigação da mídia como TV, rádio, internet, jornais e revistas discutir essa pauta para levantar e disseminar informações corretas. Isto não aumenta o risco de um indivíduo se matar e é fundamental dar informações à população com relação ao problema, onde buscar auxílio etc.

Fique atento a esses sinais

Se perceber que alguém próximo a você está exibindo alguns desses indícios, ofereça suporte ou procure um especialista para conversar. Confira!

Transtornos mentais: praticamente todos que tentaram se suicidar ou com tendências a essas ideias sofrem com distúrbios psicológicos. E a forma como eles lidam com isso é determinante e o tratamento com um psiquiatra é uma das principais formas de prevenção.

Histórico pessoal: já tentou tirar a própria vida anteriormente? Quem já fez uma vez está 5 ou 6 vezes mais propenso a fazer de novo.

Pensamentos suicidas: comentários que demonstram desespero, desamparo e/ou desesperança. Indicadores de alerta são frases como “eu não queria ter nascido”, “seria melhor se eu estivesse morto” e “caso não nos encontremos novamente”. 

Fatores estressores: eventos significativos como divórcio, perda de um ente querido, do emprego e outras coisas negativas que acontecem tornam-se gatilhos para pensamentos suicidas. 

Fique atento aos sinalizadores e procure ajuda. Uma opção é ligar para o CVV (188).

--

Gostou dessas dicas? Para conferir mais como essas, não deixe de acompanhar nosso blog aqui na página da Droga Leste. Tem algum assunto que você gostaria de ver por aqui? Fale com a gente pelo e-mail marketing@rededrogaleste.com.br. Cuide bem, viva bem!

Confira mais

Dia Mundial da Saúde Bucal: 4 dicas para cuidar bem do seu sorriso!

Preparamos quatro dicas incríveis para que você fique em dia com o seu sorriso e possa mantê-lo sempre lindo e saudável. Confira em nosso blog de hoje!

Salto de desenvolvimento: como identificar se o bebê está passando por um?

Quer saber mais como identificar cada salto de desenvolvimento no seu pequeno? Confira algumas dicas que separamos nesse post!

Dia Internacional da Síndrome de Down

Você sabia que a síndrome de Down não é uma doença, mas uma alteração genética que acontece devido a um erro na divisão celular do óvulo?

Dia Mundial do Rim: por que são importantes e como cuidar deles?

Hoje é celebrado o Dia Mundial do Rim, por isso separamos algumas informações para ajudar você a mantar sua saúde em dia. Fique sabendo!

5 produtos de beleza mais usados pelas mulheres

Hoje é um dia muito importante para todas as mulheres e a beleza está sempre no dia a dia delas. Selecionamos 5 produtos que não podem faltar para uma mulher!

5 exercícios para idosos praticarem em casa

Selecionamos 5 exercícios fáceis para idosos, que podem ser praticados em casa durante esse período de isolamento social! Confira as dicas no post de hoje.

Veja Mais Postagens